O Guia Da Luz

O que nos acontece é o que “precisa” acontecer para que o equilíbrio se mantenha…

Há já vários dias que ando a usar repetitivamente uma palavra incomum, tanto no que toca a uns tantos processos pessoais como em análise e  conversa com as mais variadas pessoas…

“Purga!”

Admito que não é a minha palavra preferida mas tem sido a que sem dúvida consegue descrever o estado geral e comum a tantos nos dias que correm.

A purga significa;

1. Purificar através da eliminação de impurezas;

2. Limpar de maneira a esvaziar na totalidade;

3. Livrar algo ou alguém de alguma coisa ou alguém; desembaraçar;

4. (Figurado) Expiar; pagar as culpas ou os pecados;

5. (Medicina) Prescrever ou ministrar purgativo a;

Sinónimos: expurgar, limpar, livrar, mondar, purificar, resgatar e safar.

Acredito que quem já anda nestes caminhos, já tomou consciência de que a viagem da vida é um eterno equilíbrio entre a luz e as sombras que carregamos em nós. É o dia de chuva e o dia de sol. É a tristeza e a alegria.

Viver então não é mais do que a nossa interação com a realidade 3D que constantemente nos propõe experienciar tanto as energias Yin como as energias Yang. Ou seja, o que temos em falta iremos atrair da vida, o que temos a mais iremos ser convidados a “purgar”.

Deste ponto de vista o que nos acontece não é bom nem mau, antes pelo contrário!

O que nos acontece é o que “precisa” acontecer para que o equilíbrio se mantenha…

Como na educação que nos deram não eram tidas em conta, aceites, limpas e integradas quaisquer sombras, elas foram sendo ao longo do tempo de várias vidas, reprimidas, abafadas, negadas dentro de nós até criar a mais pesada, desconfortável e dolorosa densidade dentro de nós. Aquilo a que comumente chamamos de sombra..

Como todos os movimentos planetários trabalham a favor da reposição do equilíbrio, já sabemos então que onde há excesso de densidade, há “purga!”.

A palavra só por si já demonstra que não é um processo fácil, bonito ou confortável. Mas é tão essencial como qualquer outra limpeza..

Sempre que somos convidados a “purgar” uma tristeza, uma revolta, um medo, uma insegurança, fugimos, negamos, corremos, compensamos com algo ou alguém que venha fazer-nos esquecer aquele desconfortável convite. Por isso mesmo ele volta e volta e volta as vezes que forem precisas até que aceitemos o convite e façamos a “purga”!

Por vezes é o nosso mapa astrológico pessoal a sugerir o momento da purga. Outras vezes, a purga uma proposta para todos. E por mais que goste de ter um lado positivo, eu pessoalmente sinto que este ano nos trás  ainda o convite a muitas purgas. A quadratura Plutão / Urano que irá fazer ondas por muito tempo e o retorno de Saturno a Escorpião no Verão 2015…

Já tenho escrito isto varias vezes, o Universo não apoia perfeição como a muitos ainda acreditam. O Universo apoia equilíbrio e por isso tantas vezes encaramos as perdas como “injustiças” da vida sem perceber a mecânica de equilíbrio que se esconde por trás desses mesmos eventos.

Sabendo então que podemos esconder as nossas sombras de quem nos rodeia mas é impossível escondê-las do Universo, é então uma atitude inteligente reconhecermos, iniciarmos e cooperarmos no processo da “purga”, certo??

Então como fazer a dita “purga”, perguntas tu?

Simples. Não fujas, não evites, não negues o que quer que a vida te convide a sentir trazido das mais variadas maneiras pelas mais variadas fontes.

Estás triste, chora! Chora até terminares num abraço amoroso e de conforto a ti mesma!

Estás com raiva, grita, parte um prato, dá um murro numa almofada!

Estás a sentir solidão, entra nesse vazio, procura e abraça a tua criança interior e garante-lhe a tua companhia!

Estás com medo, lembra que o pacote do medo trás a coragem dentro! Usa-a!

Estás insegura, pede ajuda ao Céu e confia na força recebida!

Estás no papel da vitima, acaba com isso! A vida continua e cabe-te a ti que seja forte e de cabeça erguida!

Ou seja e resumida toda a filosofia da “purga”, sejamos verdadeiros e transparentes com o que quer que se passe connosco…

Muitas vezes nem temos que fazer nada mas apenas permitir que a Vida  faça o seu trabalho.

Por exemplo, quando tomamos um antibiótico não ficamos em stress à espera da cura, certo? Quando o tomamos, confiamos naquela droga, relaxamos e esperamos que ele faça efeito, certo?.

A “purga” é idêntica.. temos que trabalhar e cooperar com ela ou simplesmente permitir que ela aconteça. Confiar num processo que de facto nem sempre compreendemos é um desafio, mas não nos resta muito mais..

Nos momentos mais difíceis, quando a agulha cósmica entra pela dor adentro, podes ajudar ainda mais. Recolhe-te para um lugar calmo e seguro, senta-te confortavelmente, coloca uma música suave, fecha os olhos e dá uma forma e localiza essa “purga” no teu corpo. Imagina à tua maneira o que afinal está a acontecer. Como a energia velha está a ser dissolvida e liberta. Ajuda com as tuas imagens e intenções e visualizar o processo de limpeza concluído sem abandonar as respectivas emoções.

Quando sentires que a limpeza foi feita, a clareza mental, o alivio emocional e a leveza espiritual voltaram, sorri para ti e para o mundo pois agora a tua energia vibra um pouco mais alto…

Bem Hajam Sempre

Artigos Relacionados

Sobre o autor Ver todos os artigos

O Guia Da Luz