O Guia Da Luz

Como todos os estudantes do esoterismo sabem, existem 7 Raios Energéticos correspondentes aos 7 Caminhos Ocultos, que cada alma e personalidade precisa percorrer, aprender e neles se aperfeiçoar, em cada uma de suas características. Deste modo, cada experiência em cada um dos 7 raios é um meio para alcançar uma expansão espiritual cada vez maior, atingir a perfeição humana e a unificação com a Luz, a iluminação das leis do Karma e da reencarnação obrigatória na Terra

Os 7 Raios Planetários são aspectos da divisão de um Raio de Luz Solar; a alma e a personalidade estão mais sintonizados com aqueles Raios que atuam com suas tônicas, ritmos, energias e gamas de cores em todos os aspectos da vida e da evolução. Também estão relacionados com os 7 chakras principais, com os 7 veículos do homem, com os 7 planos ou mundos, etc.

Os Raios têm seus próprios atributos e objetivos, suas tarefas e missões, suas formas de ensinar, desenvolver e expandir as potencialidades latentes de cada Raio na alma e na personalidade.

Os 7Raios administram todas as energias necessárias a todos os cinco reinos: mineral, vegetal, animal, humano e espiritual; atuam no conjunto global da humanidade e do próprio planeta para que a vida e a evolução avancem ruma à Divina Luz do Grande Criador do Universo, que normalmente chamamos de Deus.

Cada alma está mais sintonizada e reage melhor com um destes 7 Raios Planetários, o qual representa o seu verdadeiro Caminho Oculto, chamado também de “O Caminho Interno”, aquele que a alma vem seguindo ou tentando seguir há muitas existências, evoluindo e servindo à Luz e às Obras Divinas.

É por um destes Raios que cada ser humano atingirá a sua libertação e iluminação espirituais. Como a alma precisa atingir a perfeição humana e espiritual nos 7 Raios para chegar à Luz, em cada encarnação ela coloca a personalidade na condição de ganhar a experiência em destes 7 Raios.

Devida à época de transição cíclica que a humanidade atravessa, numa mesma encarnação a personalidade pode ganhar experiências em mais do que um Raio, dependendo do nível e da programação evolutiva da alma e de suas reais necessidades de desenvolvimento e evolução.

Todos queremos sempre saber qual o Raio da Alma, e isto é mais simples do que imaginamos. Basta pesquisar as características de cada um dos 7 Raios Planetários e fazer uma auto-análise às virtudes e defeitos, facilidades e dificuldades, à maneira como pensamos, agimos, falamos, como gostamos de aprender, ensinar e executar. Precisamos sentir através do nosso chakra cardíaco, do sentimento e da intuição com qual deles nos sentimos mais afinados, quais as tônicas que mais correspondem às nossas características individuais. Deste modo, identificamos o Raio da Alma e da personalidade. Nossa alma sabe qual é o seu Raio, é só deixar que ela nos transmita essa informação.

O estudo, a pesquisa, as experiências e as práticas com os 7 Raios são importantes a vida de todos aqueles que buscam a Luz da sua realização espiritual, sua ascensão e libertação, e procuram ajudar seus semelhantes. Todos nós já passamos e teremos de passar pelos 7 Raios muitas vezes, até conseguirmos transformar a transmutação as trevas em Luz, na consciência, no coração, na mente e na alma. Porque só a Luz Divina nos leva à Renovação interior.

Através do trabalho com os Raios e seus regentes, os Mestres, temos uma compreensão, consciência e conhecimento da vida espiritual, de nossas almas e nossas vidas humanas que são muito mais abrangentes e transcendentes do que supomos.

Os Raios que correspondem à alma e à personalidade são os mais importantes para o desenvolvimento espiritual, para uma abertura dos canais espirituais conscientes e uma comunicação direta com o Mestre da Alma .

Os Raios estão divididos em:

Raios dos Aspectos: 1º – 2o – 3o .

1o) Da vontade, força, ação, fé coragem, ordem, autoconfiança e poder. Corresponde ao “Aspecto Pai da Trindade”.

2o) Do amor-sabedoria, sentimento, consciência, discernimento, expansão. Corresponde ao “Aspecto Filho da Trindade”.

3o) Da Inteligência ativa e criativa, compreensão, poder mental, corresponde ao “Aspecto Espírito Santo ou Mãe da Trindade”.

Raios do Tributo: 4o – 5o – 6o – 7o .

4o) Da Harmonia, beleza, arte, unidade, expressão e intuição.

5o ) Do conhecimento concreto, ciência, exatidão, paciência.

6o) Do idealismo abstrato, devoção, contemplação, lealdade.

7o) Da magia cerimonial e ritualística, precisão, ordem, disciplina, método, liberdade.

Estas definições dos Raios são as mais simplificadas. Como eles são os diferentes aspectos da Força por meio da qual a Luz Solar se manifesta na Terra, nos seus aspectos ocultos ou esotéricos, há muito mais o que se falar sobre eles. Por isso, é importante pesquisar.

Geralmente, o Instrutor Espiritual – O Mestre Individual de cada um está ligado a um destes Raios e também muito harmonização com a alma do discípulo que, geralmente, pertence ao mesmo Raio do Mestre.

Contudo, pode acontecer nos primeiros estágios do Caminho da Luz de termos um Mestre Secundário, até de outro Raio, e só passamos ao Mestre Principal quando atingimos determinado nível de evolução e canais espirituais para podermos Ter acesso direto e consciente, sem dúvidas e incertezas, aos planos e níveis superiores onde, normalmente, se encontram os Mestres de Luz ou Ascencionados como o Mestre da Alma.

A fim facilitar a busca dos Raios espirituais principais, fiz uma síntese:

O Raio da Alma – Normalmente, é o mais fácil de ser detectado, devido ao fato de existir uma identificação muito rápida através do nosso sentimento profundo e da intuição. É aquele raio que reúne mais aspectos positivos, mais coisas boas, aquilo que mais gostamos de aprender, fazer e seguir, tudo aquilo que nos faz sentir bem. Se buscamos com o coração aberto, nossas almas passam a informação sobre qual é o Raio, visto que ela tem muito interesse em facilitar nosso aprendizado, nossa evolução e nosso desenvolvimento espiritual.

O Raio da Personalidade – Torna-se o mais difícil de ser detectado porque nele nos deparamos com as nossas características pessoais, as positivas e as negativas, e isto nos bloqueia um pouco. É o raio em que mais temos de sublimar e mais necessitamos de aprender, em virtude das nossas dificuldades.

O Raio da Alma – No caminho da espiritualidade, o mais importante é conhecer, por nossos próprios méritos, ele marca o caminho que temos a trilhar, o tipo de desenvolvimento, ensinamento e serviço que é mais fácil para nós. Sinaliza tanto as nossas dificuldades como as nossas facilidades, os pontos fracos e fortes, virtudes e defeitos. Ele é o nosso caminho Interno.

Na evolução da humanidade o 2o Raio governa o Caminho do Discipulado e transmuta o conhecimento em Sabedoria, alimentando, ao mesmo tempo, a vida Crística em cada alma.

Já o 1o Raio governa o “Caminho da Iniciação “, produzindo o desapego à forma, a destruição de todos os obstáculos, e fomentando a vontade dinâmica que permite ao iniciado e àquele que trilha o Caminho da Luz darem os passos necessários que conduzirão ao Mestre Iniciador. Seu poder aumenta à medida que progridem no caminho espiritual.

Por iniciação, em esoterismo, se entende expansão do sentimento, da consciência, da mente e da alma, por isso, existem vários graus iniciáticos. E não deve ser confundida com outras formas d emprego da palavra “Iniciação”, atribuídas pelas organizações espirituais, criadas pelos homens. Estas são completamente diferentes da verdadeira iniciação, que é transmitida pelos Mestres de Luz sempre à alma e não à personalidade.

Os Três Aspectos da Trindade estão também relacionados com os 7 Raios. O Mais forte e complexo dos aspectos pode parecer que seja o “Pai”, e de certa forma é no que diz respeito à vida universal, ao direcionamento da vida, mas no que diz respeito às nossas existências terrenas, o Terceiro Aspecto, Espírito Santo ou o lado feminino de Deus, chamado nas ciências esotéricas de Deus Mãe, é o mais importante.

Enquanto os aspectos “Pai e Filho “cada um tem um raio para a sua manifestação através dos sete raios, o primeiro e o segundo, o Espírito Santo, a Mãe necessita de cinco raios para a sua manifestação: do quinto ao sétimo.

O Aspecto Pai está relacionado com o Espírito e a forma material com a Mãe, a alma é o Aspecto Filho, o elo de ligação do espírito com a matéria; assim, no esoterismo oriental a alma também é sinônimo de Cristo, daí se chamar Cristo Interno à alma de cada um.

Compreendemos melhor a célebre frase de Jesus:

“Ninguém chegará ao Pai senão por mim”. Ele não estava se referindo a si próprio, mas sim à alma de cada um. Ninguém conseguirá chegar ao seu espírito-pai se não passar pela sua alma-filho, é óbvio, e o objetivo de todas as almas é atingir a união e fusão com seu espírito; por isso, encarnaremos tantas vezes até conseguirmos. Daí vem outra frase de Jesus: “Eu (alma) e o Pai (espírito) somos um”. Todos teremos que ser um com o Pai-espírito, este é o destino de cada um de nós: o retorno ao Reino do Pai, o Reino dos Céus, o Reino da Luz, e isto está muito além de qualquer religião, crença, seita ou organização criada pelo homem, está além dos sentidos.

Conta uma lenda muito antiga, que se perde na noite dos tempos, que Deus criou o arco-íris para que melhor os homens entendessem que o cultivo da Luz e de suas cores são fundamentais para sua evolução e expansão espirituais. O Arco-iris sempre fascinou o homem: assim, Deus criou uma forma rápida e perfeita para que se filhos prisioneiros na Terra consigam retornar ao Seu Reino, à Divina Casa de nossos Divinos Pais, e também para que possamos compreender que todos somos Filhos da Luz e não das Trevas.

Há quem diga que na era Aquariana haverá 14 Raios, 49, e há até quem diga 144 raios. Só que os raios não foram inventados, eles existem pela única e simples razão de que um Raio de Luz do nosso Sol quando passa pelo prisma se divide em 7 e não em 14, 49 ou 144 raios

Quando o Arco-íris tiver mais de 7 cores, aí passarão a existir mais Raios, por enquanto, só existem 7 raios, e os Mestres da Luz continuam a trabalhar nestes 7 raios. Contudo, existem sistemas solares com mais de 7 raios, e isto é outro assunto que não se aplica à nossa Estrela, o Sol, nem muito menos à Terra.

Artigos Relacionados

Sobre o autor Ver todos os artigos

O Guia Da Luz