O Guia Da Luz

Todos nós estamos em busca de equilíbrio e plenitude. As adversidades nos acompanham no dia a dia e temos que solucionar as diferentes questões que a vida nos coloca.

Podem ser problemas familiares, profissionais, financeiros ou amorosos. Uma doença física ou um transtorno psicológico. Ninguém está isento do sofrimento físico ou mental.

Não existe um pó de pirlimpimpim para resolver tudo, mas, nesta jornada evolutiva, temos que compreender as adversidades como janelas de oportunidades que se abrem em alguns momentos, para que possamos expandir a consciência e presenciar além da dor e do sofrimento da situação. Este é o nosso aprendizado.

Vivemos o conceito de homeostase, que é a capacidade natural de autorregulação dos seres vivos. Esta qualidade, de forma ampla, está presente em cada momento de nossa vida, a cada problema que surge.

Então, temos que perceber o conflito como um alarme para acordar nossa consciência adormecida. A mensagem tem que ser decifrada e para tanto é necessário sair do automatismo reativo, acalmar a mente e expandir o coração.

Você pode utilizar diversos recursos terapêuticos para ajudar a ultrapassar as crises, mas, é na prática vivencial que a mudança real acontece.

Primeiro, temos que assumir a responsabilidade por nossos sentimentos e desequilíbrios. Fazemos escolhas, muitas vezes, movidos pela emoção do momento, acionado pelo ego. Reagimos sem consciência e os resultados são catastróficos. E não adianta querer culpar alguém ou algo por seu sofrimento. Isto só irá camuflar a verdade. Então, temos que parar de nos defender.

Se ficamos doentes é porque o nosso sistema de autocura está precisando de nossa ajuda. Algo que precisamos mudar em nosso comportamento.

Pelo caminho do autoconhecimento, a viagem por nosso mundo interior, acessamos novos horizontes. Entramos em contato com o nosso verdadeiro ser. Compreendemos nossa dualidade e qual a mudança necessária para a cura.

Lembre-se que a cura é um caminho e não obedece a regras rígidas. Não devemos ficar focados no resultado. Ela extrapola tempo e espaço.

É preciso muita coragem para olhar dentro de si e reconhecer as causas dos desequilíbrios que criamos. Mais ainda, ter a força para mudar nossa atitude diante da vida.

Uma das grandes dificuldades que temos é sair da zona de conforto, o território do comodismo. Por isso tantas reencarnações são necessárias para nos tirar dos vícios mentais, sentimentais e comportamentais. Situações que se repetem para nos despertar.

Tive uma cliente que suas relações amorosas sempre repetiam o mesmo padrão. Homens casados que não queriam assumir compromisso. Ela nutria o desejo de ter um filho e um marido. Óbvio que sua expectativa seria frustrada!

E ela poderia culpar a vida ou sua falta de sorte. Até, quem sabe, dizer que esse era seu destino. Mas, não é difícil constatar que o seu desejo não se conciliava com suas escolhas amorosas. Para quem está de fora do conflito parece simples. Porém, para ela, seu padrão repetitivo não era consciente.

Movida pelo automatismo, sentia-se atraída por esse tipo de homem, com as mesmas características. Essa situação lhe fazia sofrer e a responsabilidade era dela, por suas más escolhas.

Sempre colheremos o que plantamos. Nada acontece ao acaso, a lei de causa e efeito a qual chamamos de Karma e da Roda de Sansara, que trata das vidas sucessivas, sempre estará conduzindo o processo evolutivo.

O ciclo do renascimento é realizado em espirais de conhecimento. A cada encarnação evoluímos um tanto.

As doenças da alma são expostas durante a vida, no corpo, na mente e nas relações com o meio. Servem como tratamento que expurga as máculas registradas no espírito.

A cura é exatamente este processo de limpeza e harmonização que reconectam o espírito a sua essência.

Portanto, não adianta revolta, reclamação, medo ou fuga diante das adversidades. Precisamos ter consciência que somos abençoados e que nada é em vão.

Se você está sofrendo, não reaja. Procure o silencio da mente e vá ao encontro da cura em contato com o Iluminado que lhe habita o ser. Com ele vá colocando luz, nos cantos escuros de seus pensamentos e sentimentos, encontrando e abraçando o espírito carente que ainda se esconde nas profundezas de seu ser.

Leve luz aonde houver escuridão, assumindo a responsabilidade de suas sombras e de sua cura.

Seja Amor!

Artigos Relacionados

Sobre o autor Ver todos os artigos

O Guia Da Luz